Etapas do Desenvolvimento dos Atletas no Desporto de Formação

Quando se está a construir um projeto de formação, é preciso relembrar o papel do clube na formação das crianças e jovens, onde para além do ensino da modalidade, é fundamental transmitir um conjunto de ferramentas que contribuam para o seu desenvolvimento enquanto indivíduos. 

Desta forma, é imperativo que em cada um dos escalões se tenha em consideração as diferentes etapas de desenvolvimento dos atletas.

As principais etapas do desenvolvimento de atletas jovens

1ª Etapa do Desenvolvimento: Relação do jogador com a bola

A primeira etapa da formação é direcionada a crianças entre os 4 e os 6 anos.

Nesta idade a aptidão para determinada modalidade não deve ser o foco nem do clube, nem dos pais, mas sim o carácter lúdico, a alegria e o gosto das crianças ao praticar desporto. Neste sentido, o grande objetivo é que através do contacto com outras crianças, e com a bola, se criem condições mais favoráveis para o seu desenvolvimento motor e intelectual, incentivando-os a conviver em grupo. 

2ª Etapa do Desenvolvimento: Iniciação ao jogo

Na etapa dos 7 aos 9 anos, as crianças começam a ter maior consciência das mudanças físicas do seu corpo, pelo que a modalidade pode começar a ser recriada num contexto mais de “desporto de rua”. Ou seja, apesar de ainda não se procurar um ensino da modalidade exaustivo, aproveita-se o gosto pelo desporto e a energia associada à idade para trabalhar a evolução, e dar às crianças ferramentas que lhes permitam tomar decisões mais conscientes com base nas suas vivências.

Nesta fase é importante que os mais pequenos possam experimentar as diferentes posições e ações técnicas da modalidade. Através de exercícios mais específicos e de complexidade crescente, de passe/recepção, e da dinamização de jogos entre grupos/equipas, o objetivo é começar a criar as bases para uma boa atitude em jogo. 

3ª Etapa do Desenvolvimento: Enquadramento do Ensino Técnico-Tático

A terceira etapa do desenvolvimento dos atletas de formação, engloba as crianças entre os 10 e 11 anos. Nesta idade, estas têm maior controlo sobre si próprias o que torna este período mais favorável para a exploração das capacidades de coordenação, como o equilíbrio, ritmo, velocidade de reação ou orientação no espaço.

Neste sentido, é nesta etapa que se deve começar a ensinar aos atletas os elementos de base técnicos e táticos da respetiva modalidade, como dribles, fintas, simulação, desarme, interceção e proteção da bola. 

4ª Etapa do Desenvolvimento: Desenvolvimento individual

A fase de pré-adolescência está associada a diversas mudanças quer psicológicas quer físicas. Nesta fase, dos 12 aos 13 anos de idade, os jovens têm uma maior consciência daquilo que acontece à sua volta, e começam a ser movidos pelo desafio, dando maior importância ao jogo e ao resultado. 

Por sua vez em termos físicos, é um estágio associado a um disparo no crescimento que pode ter um impacto mais ou menos positivo na coordenação motora. 

Além de estimular a paixão pelo jogo e pela vitória, é essencial que nesta etapa se dê uma maior atenção ao desenvolvimento das técnicas individuais e à coordenação motora. Assim sendo, é neste período final da formação de base que se dá início à adaptação dos atletas a posições mais específicas e se começa a dar mais valor à componente tática e estratégica, como os princípios da organização e da cultura de jogo. 

5ª Etapa do Desenvolvimento: Aperfeiçoamento das bases técnicas e táticas

A 5ª etapa do desenvolvimento dos atletas, ou do início do período de aperfeiçoamento das bases das modalidades, abarca os jovens dos 14 aos 15 anos.

Estas idades são marcadas por grandes mudanças associadas à adolescência, em especial as físicas em que por norma os atletas se cansam mais rapidamente, uma vez que a sua energia é maioritariamente canalizada para o seu crescimento. 

Estas alterações levam a que haja uma diminuição das suas capacidades de coordenação, pelo que este período é mais sensível para iniciar o desenvolvimento de aspetos como a força, velocidade, resistência e flexibilidade. Além disso, este momento é o ideal para estimular a capacidade de resiliência, trabalhar técnicas e táticas individuais que permitam iniciar uma posição específica, e ainda trabalhar com os jovens adolescentes o desenvolvimento de táticas coletivas nos vários momentos do jogo.

6ª Etapa do Desenvolvimento: Preparação da estrutura mental

Na 6ª etapa do desenvolvimento, dos 16 aos 17 anos, dá-se a estabilização do crescimento, os jovens começam a descobrir a sua identidade individual e a procurar a sua independência, daí que comecem ter uma maior necessidade de se afirmarem e mostrarem o seu poder e valor.

A partir desta fase, os jogos já têm um nível mais elevado, pelo que os jovens começam a estar sujeitos a maior pressão pela apresentação de resultados. Neste sentido é essencial que, além do trabalho técnico-tático individual, se trabalhe na construção de uma estrutura mental mais sólida capaz de lidar com os desafios. 

7ª Etapa do Desenvolvimento: Especialização da posição

Com a passagem para a idade adulta, os jovens, nesta fase com 18 a 19 anos, começam a ter maior consciência da sua identidade e adquirem também maior estabilidade em termos sociais. Além disto, esta é a idade em que as grandes decisões sobre o futuro ganham mais força, pelo que os jovens começam a colocar em perspetiva os objetivos e escolhas entre a escola e o desporto na sua formação.

Nesta penúltima etapa deve-se procurar trabalhar a especialização da posição, através do desenvolvimento quer da dimensão técnica, quer da dimensão estratégica e tática, sendo essencial aumentar a complexidade dos exercícios do treino e das atitudes definidas para os vários momentos do jogo. Desta forma será possível alcançar o máximo potencial do atleta.

8ª Etapa do Desenvolvimento: Autonomia das competências

A última etapa do desenvolvimento do jogador, agora entre os 20 e os 21 anos, é aquela em que se espera um elevado rendimento. Nesta fase o atleta já detém mais estabilidade comportamental e emocional, e vê o desporto de uma forma mais madura por isso tem uma maior vontade de se afirmar no seu desejo por uma carreira profissional. 

Para finalizar, o objetivo nesta etapa é consolidar todas as competência já adquiridas ao longo da formação, desde os aspetos técnicos aos comportamentos táticos individuais e coletivos, não esquecendo o desenvolvimento contínuo de uma forte estrutura mental.

Mais do que ensinar uma modalidade, a formação desportiva contribui para o desenvolvimento de indivíduos

A formação desportiva tem um grande impacto na vida dos jovens, independentemente de estes seguirem ou não uma carreira profissional no desporto. 

Assim, para que se possa tirar o maior partido de todo o trabalho formativo, é essencial que além do foco na componente técnica e tática, os coordenadores técnicos em funções tenham em conta as características físicas, psicológicas e habilidades sociais associadas a cada idade. 

Ao ter em consideração as várias etapas do desenvolvimento dos atletas, consegue-se maximizar as competências desportivas dos jovens ao mesmo tempo que se ajuda a construir a sua identidade individual e as bases para a vida adulta.

O desporto deve ser uma escola para a vida!

About the Author:

Formada em Marketing, a Jessica junta a paixão pelo desporto, em especial o futebol, ao gosto pela escrita. A sua missão? Trazer as melhores práticas no marketing e ajudar os clubes desportivos a melhorar as suas relações externas.