7 desafios do Scouting na formação

Os desafios do Scouting na Formação, tendo em conta a menor visibilidade deste escalão, acabam por ser superiores quando comparados com equipas séniores.

Conscientes da importância do Scouting para o Desporto de Formação, muitos clubes têm vindo a apostar na criação deste departamento. Hoje os clubes sabem que a base de uma formação de excelência deve começar no seu processo de recrutamento.

O processo de recrutamento tem essencialmente 4 etapas: identificação, observação, seleção e recrutamento, sendo que cada uma delas tem os seus próprios desafios.

Desafios do Scouting no processo de Identificação

1. Falta de informação sobre atletas de formação

Todos temos noção da existência de bases de dados que nos fornecem um conjunto de informações sobre jogadores profissionais. No entanto, quando falamos do desporto de formação a identificação de jovens talentos torna-se bastante difícil devido à inexistência de informação direcionada a estes escalões.

Muitas vezes, são os treinadores os primeiros a identificar atletas com potencial. Contudo este trabalho torna-se complicado, uma vez que o treinador tem que estar atento ao jogo e à sua equipa, além de que pode não estar sintonizado com as políticas de scouting do clube.

Neste sentido, é fundamental que haja cooperação entre o departamento técnico e o scouting para a identificação de jovens talentos. Assim, estabelecer uma rede de contactos que abranja várias áreas/clubes, ainda que difícil, torna-se uma vantagem fulcral para este processo.

Desafios do Scouting durante a Observação de atletas

2. Subjetividade da Observação

Estando os jogadores de formação em fase de crescimento, uma das dificuldades com que os scouts se deparam está relacionada com a análise do rendimento atual do jogador e o seu potencial de crescimento.

Por outro lado, o facto de um jogador se destacar ou não num clube, não significa que terá o mesmo resultado ao ser trabalhado numa equipa diferente com metodologias de trabalho distintas.

A observação de um jogador, em especial em desportos coletivos, pode ser bastante subjetiva e depender não só do indivíduo e das suas condições no momento, como também de fatores externos, nomeadamente oportunidades dadas pelo treinador, contexto tático da equipa, ou os objetivos e necessidades de cada etapa na formação.

Por este motivo, é importante que o Scout consiga perceber o verdadeiro potencial do jogador que pode ser transferido para a equipa e para os objetivos que se pretendem alcançar, ao invés de se focar somente na sua capacidade técnica.

3. Falta de condições na observação

Sabemos que nas equipas profissionais, a localização preferida dos scouts são os lugares centrais mais superiores, no entanto, esta possibilidade é bastante limitada quando falamos das equipas de formação.

Uma das dificuldades no scouting de formação prende-se com a falta de condições na maioria dos campos onde atuam estas equipas.

O facto de não existirem bancadas com uma visão mais ampla do campo, ou até zonas cobertas, pode dificultar o trabalho dos scouts não só a nível da observação dos jogadores como também no registo de todas as informações necessárias.

Os desafios da seleção de atletas no Scouting de Formação

4. Análise das características psicossociais do jogador

O recrutamento, seja entre clubes da mesma cidade ou de áreas diferentes, implica sempre uma mudança na rotina de um atleta.

De forma a antecipar qualquer obstáculo, é necessário perceber as características do jogador em termos psicológicos e sociais, nomeadamente os seus comportamentos e grau de adaptação à mudança.

No entanto, tendo em conta que nesta fase o Scout ainda não está em posição de dar a entender a um jovem que existe algum interesse ou que o mesmo está a ser observado, tirar conclusões sem conversar ou conhecer o atleta pessoalmente, pode tornar-se bastante difícil.

Por este motivo, a existência de uma rede de contactos volta a ser bastante útil, permitindo perguntar a alguém da equipa técnica ou mais próximo como é que o atleta é no treino e na sua vida pessoal.

5. Observações vs Necessidades do clube

Outra das dificuldades do Scouting prende-se com a variação das observações face às expetativas das equipas técnicas, i.e., apesar das características dos jogadores a recrutar serem previamente definidas, a perceção/opinião do scout pode não corresponder à do coordenador e/ou do treinador.

Ainda que os scouts e as equipas técnicas tenham em mente as características do atleta ideal, o carácter subjetivo da observação, acaba por tornar o processo de seleção mais difícil.

6. Falta de organização

À medida que o número de observações vai aumentando, o processamento, manutenção e a análise dos dados recolhidos acaba por se tornar cada vez menos eficaz.

Apesar de alguns clubes já terem ferramentas de organização da informação de clubes desportivos, a verdade é que a maioria dos scouts ainda recorrem a técnicas tradicionais como as folhas de cálculo ou documentos de texto para fazer o registo de todas as informações referentes ao atleta.

Neste sentido, a utilização de ferramentas específicas para a organização da informação acabam por se revelar bastante úteis, ajudando ainda a que os clubes mantenham um registo atualizado de todas as observações efetuadas ao longo das épocas.

Desafios do Scouting de Formação no recrutamento

7. Gerar Confiança

O processo de recrutamento de atletas na formação está associado a mais gastos para o clube e a uma maior responsabilidade, uma vez que estamos a falar de jovens, muitas vezes menores de idade.

Neste sentido, cabe aos responsáveis pelo recrutamento garantir à direção que a aposta no atleta é benéfica a longo prazo.

Por outro lado, é necessário que estes transmitam aos jovens e aos familiares, muitas das vezes céticos em relação a carreiras desportivas, o sentimento de confiança no clube, no acolhimento e no trabalho que será desenvolvido em prol da formação do atleta.

Apesar dos desafios do scouting, os clubes têm muito a ganhar com a criação deste departamento

Ainda que possam existir muitos fatores que dificultem o trabalho dos Scouts, este departamento é cada vez mais importante para que os clubes possam minimizar a probabilidade de erros no recrutamento e aumentar o sucesso do processo de formação.

Torna-se assim imprescindível que em termos individuais os scouts procurem arranjar soluções que potenciem e melhorem não só a recolha de informação como também os seus métodos de seleção.

About the Author:

Formada em Marketing, a Jessica junta a paixão pelo desporto, em especial o futebol, ao gosto pela escrita. A sua missão? Trazer as melhores práticas no marketing e ajudar os clubes desportivos a melhorar as suas relações externas.