Scouting no Desporto de Formação

Apesar de ser frequentemente associado à vertente profissional, a importância do Scouting no desporto de formação tem vindo a crescer, independentemente das dimensões e/ou notoriedade dos clubes.

O scouting constitui a base do processo de recrutamento de jogadores e pode ser subdividido em três vertentes: observação de jogadores profissionais, observação de adversários e observação na formação.

 

Importância do Scouting no Desporto de Formação

Sabemos da importância de um clube desportivo para a formação de crianças e jovens quer enquanto atletas quer enquanto indivíduos.

A formação desportiva, por norma, tem como objetivo a melhoria da performance de jovens atletas para que sejam projetados para escalões mais elevados. De modo a potenciar estes objetivos, o recrutamento de jovens atletas tem ganho grande destaque.

Para que o resultado seja o pretendido é necessário que exista uma simbiose entre coordenadores técnicos, treinadores e scouts.

Mas como devem estes três departamentos trabalhar em conjunto na melhoria do recrutamento e da formação?

Coordenação técnica no scouting

De um modo geral, a coordenação técnica é a função que orienta todo o trabalho formativo, define as linhas orientadoras e os objetivos a alcançar, estimulando o desempenho e a produtividade de todos os envolvidos no processo de formação.

Para além do desenho do plano formativo, das metodologias e conteúdos de treino e, dos objetivos a médio-longo prazo, cabe ao coordenador definir os perfis de atleta adequados a cada escalão da formação, bem como acompanhar todo o processo de recrutamento dos atletas, garantindo não só o seu acolhimento como também que o trabalho desenvolvido é feito de acordo com as expetativas e necessidades da equipa.

No fundo, é responsabilidade dos coordenadores técnicos garantir que o departamento de scouting dispõe de todas as informações necessárias para realizar uma pesquisa adequada.

O papel dos treinadores no scouting

Tendo por base as orientações e os conteúdos definidos pelos coordenadores técnicos, o treinador é o responsável por trabalhar e formar os jovens não só para alcançar os resultados esperados para cada escalão etário, como também os perfis de atletas ideais estipulados pelo clube.

Posto isto, tem a responsabilidade de passar inputs à coordenação técnica sobre as necessidades e eventuais lacunas da equipa.

Na maioria das vezes, os treinadores são os primeiros a identificar potenciais talentos para recrutamento, contudo, o foco na sua equipa e a falta de tempo impossibilitam o acompanhamento e a análise dos atletas, pelo que o scouting adquire uma maior importância.

O Scout

O Scouting pode ser definido como a prospeção ativa de jogadores que correspondem a determinadas características previamente definidas, por forma a identificar potenciais talentos, colmatar falhas técnico-táticas nas equipas ou obter insights sobre as equipas adversárias.

Deste modo, a partir das características do atleta que se pretende trabalhar e que melhor se adequam ao projeto formativo do clube, o Scout fará a identificação e a avaliação dos jovens com potencial para estar na equipa.

A procura de atletas pode ser feita a um nível local, regional, nacional ou até internacional, consoante a capacidade e os objetivos definidos pela direção do clube.

Quando bem realizado, este trabalho permite que os clubes tenham melhores recursos para potenciar a sua formação e consequentemente consigam melhorar as capacidades técnicas e táticas dos atletas nos escalões de competição.

Posto isto, para uma prospeção e recrutamento eficazes é necessário que estes três pilares (coordenação técnica, treinadores e scouts) estejam em consonância.

 

O Scouting como vantagem competitiva no Desporto de Formação

Conforme mencionado, o principal foco do scouting no desporto de formação deve ser encontrar jovens com maior potencial associado que possam ser desenvolvidos e aproveitados no futuro, na equipa principal.

Além disto, ao identificarem oportunidades de recrutamento de forma mais célere, os clubes aumentam as probabilidades de rentabilizarem a sua formação, nomeadamente através dos mecanismos de compensação para atletas profissionais. Sendo que, para os clubes com mais dificuldades estes valores podem ser extremamente impactantes.

O scouting no desporto de formação tem vindo a crescer, adquirindo grande importância para uma maior vantagem competitiva entre os clubes, tanto a nível da produtividade como financeiro.

About the Author:

Formada em Marketing, a Jessica junta a paixão pelo desporto, em especial o futebol, ao gosto pela escrita. A sua missão? Trazer as melhores práticas no marketing e ajudar os clubes desportivos a melhorar as suas relações externas.